O governador João Azevêdo (Cidadania) disse que é preocupante a tentativa de interferência do presidente da República, Jair Bolsonaro, na Polícia Federal, conforme denunciou o agora ex-ministro da Justiça, Sergio Moro.

“Essa é a questão que mais preocupa”, disse Azevêdo sobre o suposto crime de responsabilidade de Bolsonaro.

Questionado pela reportagem sobre as consequências para o presidente, como um possível afastamento, João disse que “agora passa a ser uma questão política, antes de tudo, como qualquer processo de impeachment”, afirmou.

O ministro relatou durante pronunciamento nesta sexta-feira (24) uma conversa que teve com Bolsonaro na quinta-feira sobre a demissão do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo. Disse que o presidente deixou claro que gostaria de fazer uma interferência política no órgão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezessete − oito =