Oficiais da Inteligência e da Segurança Nacional dos Estados Unidos estão investigando se o novo coronavírus (Sars-CoV-2) foi criado em um laboratório da cidade chinesa de Wuhan e, acidentalmente tenha sido espalhado entre os moradores, informou a emissora norte-americana “CNN” nesta quarta-feira (15).

Segundo um documento obtido pela televisão, no entanto, além desta, estão sendo estudadas diversas possibilidades da origem do vírus e nenhum conclusão ainda foi obtida. De acordo com as fontes, os norte-americanos já desconsideraram a possibilidade de que o Sars-CoV-2 tenha sido criado como uma arma biológica.

A teoria foi impulsionada por apoiadores do presidente Donald Trump, que nos últimos dias voltou a atacar a China e a Organização Mundial da Saúde (OMS) por conta da pandemia mundial, e está entre as “teorias da conspiração” mais citadas também no Brasil e na Itália. Além disso, o fato da China divulgar pouquíssimas informações sobre a origem da pandemia também levanta suspeitas dos mais conspiracionistas.

Porém, a “CNN” ouviu uma fonte ligada à Casa Branca que ironizou a pesquisa, afirmando que “sempre que há uma epidemia, alguém propõe que o vírus ou outro patogênico tenha sido criado em laboratório”. Além dos estudos norte-americanos, uma série de pesquisas internacionais também tenta encontrar a origem e o porque da disseminação da Covid-19 tenha sido tão rápida. A mais aceita, no momento, é uma divulgada pela revista “Nature”, que indica que não há nenhuma evidência de que o vírus tenha sido criado de maneira artificial, já que apresenta “incontestavelmente” características de um vírus natural. (ANSA)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

17 − nove =