O secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, admitiu, em entrevista na manhã desta segunda-feira (13), que há subnotificação dos casos de Covid-19 no estado. ”A subnotificação existe em todo o mundo, não há como testar toda a população”, explicou.

Ele garantiu, no entanto, que o Estado tem feito esforços para amenizar esse problema. “Essa semana vamos liberar os testes rápidos, e o Lacen está fazendo 120 testes por dia, o PCR, que é o teste mais seguro”, disse. “Nós já temos 10 mil testes rápidos, que recebemos do Ministério da Saúde, e o estado comprou mais 200 mil, que estamos aguardando chegar”.

Geraldo Medeiros explicou que, para serem usados, os testes precisam ser validados pelo Ministério da Saúde, mas logo que isso ocorrer, eles começaram a ser usados nos profissionais da saúde e da segurança.

Epicentro

O secretário afirmou que João Pessoa é o epicentro do novo coronavírus na Paraíba, concentrando 85% dos casos. Por isso, a prioridade foi organizar a estrutura hospitalar da Capital.

“Por isso o governador alugou o Hospital Santa Paula, com 150 leitos. Também há 130 leitos no hospital de campanha que foi montado ao lado do Hospital Metropolitano”, contou ele, acrescentando que os pacientes também contam com leitos do próprio Hospital Metropolitano, do Hospital Clementino Fraga e do Hospital Universitário Lauro Wanderley. “A estrutura hospitalar está montada em João Pessoa”.

Em relação aos profissionais para atender a esta demanda, o secretário explicou que foi necessário fazer uma segunda chamada da seleção para profissionais da área da saúde realizada pelo Governo do Estado. “Porque médicos intensivistas, de 300 vagas, 136 se inscreveram”, justificou. Segundo ele, é importante que ter esses profissionais na reserva, até porque, muitos dos que atuam atualmente no combate à doença vão acabar adoecendo também e precisando ser afastados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

nove + catorze =