Seis pacientes em Israel participaram de terapia experimental contra a infecção do novo coronavírus no fim do mês de março, um sétimo caso também começou o tratamento em abril. De acordo com a empresa farmacêutica Pluristem, todos eles estavam na UTI com Covid-19, com respiradores, e sofrendo de síndrome respiratória aguda. Após os testes, que duraram uma semana, todos apresentaram melhora e sobreviveram.

O tratamento em questão utiliza placenta, e é de base celular. Quatro entre os seis tiveram melhora considerável no quadro, considerado grave, enquanto outros três puderam deixar os respiradores.

Quatro dos objetos de estudo eram do chamado grupo de risco, com comorbidades como cardiopatia e falência renal. Ainda assim, apresentaram bons resultados.

A terapia se utiliza de células PLX, que, por suas propriedades imunológicas, ajudariam o sistema a se regularizar e reverter os efeitos da pneumonia.

A empresa, agora, deverá buscar permissão para fazer testes clínicos regulares em vários países e, eventualmente, adotar protocolo para o tratamento contra a infecção causada pelo novo coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dez + quatro =