O senador Álvaro Dias (Podemos/PR), em entrevista ao Passando a Limpo da Rádio Jornal nesta sexta-feira (10), criticou a atuação do presidente da República Jair Bolsonaro na condução da crise da pandemia do novo coronavírus. Para ele, deve haver mais união entre entre os governos federal e dos estados.

“Nós estamos vendo que o presidente da República joga combustível na fogueira de vaidades. Há uma disputa pelo espaço na mídia pelo protagonismo de um querer ser mais importante com o outro, então há um confronto do presidente com seus ministros. Nenhum pode se destacar e é bom que se destaque, que significa que está cumprindo com competência o seu dever. Há uma briga com os governadores, com o Congresso, todos os dias. Nós deveríamos estar conjugando os nossos esforços no combate a essa pandemia. Eu espero que isso mude”, afirmou Dias.

Sobre a relação entre Bolsonaro e o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, Álvaro Dias diz que prefere se manter independente, mas critica o presidente. “Eu não sou próximo do governo, sou independente, prefiro ficar bem longe, porque próximo contamina e isso aí parece que é um vírus pior que o coronavírus. Mas me parece que o presidente não suporta ver ninguém à frente dele.”

Ao mesmo tempo que criticou a presidência, o senador paranaense também fez críticas ao trabalho de governadores que cobram do governo federal mais recursos para seus estados.

“É preciso destacar que, nessas oportunidades, surgem os oportunistas. Surge uma pandemia e querem resolver os problemas históricos dos estados. Eu fui governador e confesso que eu fico aborrecido com estado exigindo demais do governo federal, porque não fez a lição de casa. Estados competentes, que adotam uma política fiscal rigorosa, que aplicam corretamente o dinheiro do contribuinte, estabelecem a relação custo-benefício da aplicação de cada centavo, esses estados acabam sendo punidos quando há uma crise maior.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

catorze + dois =