O número de casos confirmados de Covid-19 no mundo superou a marca de 1 milhão nesta quinta-feira (2), informa levantamento da Universidade Johns Hopkins (Estados Unidos). O total de mortos pelo novo coronavírus Sars-Cov-2, segundo o estudo, passa de 50 mil.

Entretanto, o número real de casos pode ser bem maior porque nem todos são diagnosticados e reportados. Por isso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem reforçado a necessidade de testar o máximo de pessoas possível.

A disparada no número de casos e a transmissão sustentada do novo coronavírus em praticamente todos os continentes levou a OMS a declarar pandemia em 11 de março.

Na ocasião, os contágios na China — primeiro epicentro da doença — começavam a estagnar. No entanto, os registros de Covid-19 na Europa, especialmente na Itália, disparavam. Foi ainda no início de março que diversos governos europeus decretaram medidas para forçar o distanciamento social, como restrições na circulação de pessoas nas ruas e fechamento de bares, restaurantes e outros estabelecimentos.

Os Estados Unidos também viram um aumento considerável no número de casos de Covid-19. A doença apareceu inicialmente na Costa Oeste, em estados como Washington e Califórnia. Porém, Nova York registrou explosão do novo coronavírus e se tornou o principal epicentro da epidemia no país.

Nesta quinta, inclusive, os Estados Unidos tinham o maior número de casos de novo coronavírus em todo o mundo: mais de 230 mil. A Itália, entretanto, registrou mais mortes pela Covid-19, com quase 14 mil vítimas da doença.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × um =