O Partido Verde na Paraíba, presidido pelo prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo, deve passar por um esvaziamento de filiações nas próximas semanas. Uma das primeiras a saírem da sigla foi a ex-secretária de Juventude Municipal, Waleska Cabral, que divulgou nota na manhã desta quarta-feira (1º). Ela aponta a inatividade do partido, atrelado a questões de poder em detrimento das políticas públicas e da falta de debate interno. Além disso, um grupo está com sua desfiliação pronta para se concretizar.

“Reconheci ao longo de minha militância que alguns ‘grupos políticos’ desconhecem o seu papel na política, não conseguem trabalhar em equipe e muito menos preservar o interesse popular além do interesse pessoal”, disse Waleska em nota. O grupo político que ela cita, é o grupo Cartaxista, que passou a comandar a sigla e lançou Lucélio Cartaxo, irmão do prefeito da Capital, como candidato ao Governo do Estado, nas eleições 2018.

“Já estava debatendo sobre a inatividade do partido há algum tempo, e sobre ele não levar algumas pontuações que achamos relevantes para a sociedade. Sou filiada há 10 anos, entrei com 16 anos. Mas quando entrou esse grande grupo político [do prefeito Luciano Cartaxo], a gente tentou entender, debater, dialogar, mas sempre foi muito difícil o debate para levar questões sociais adiante”, afirmou Waleska ao Paraíba Já.

Conforme a ex-PV, ela “não poderia mais ficar ao lado de pessoas que dificultam e costumam ver o interesse da população em último lugar”. Sua saída acontece após “entender que muitos não estão ali para realmente fazer seu papel que se fez necessário não compactuar mais com ideias e ideais tão egoístas e obsoletos”.

Ela pretende seguir atuando de forma partidária, mas agora de casa nova. Waleska vai se filiar ao Cidadania, partido que filiou o governador João Azevêdo recentemente. “Vai ser meu segundo partido, meu novo lugar. Acredito que ele se alinha muito bem com nosso proposta, com nossa visão política, principalmente com essa visão mais nacional. Esperamos fazer um ótimo trabalho”, declarou.

Leia nota na íntegra

Sempre acreditei no coletivo e sempre busquei valores que pensem assim, de forma coletiva e que tragam resultados para o maior número de pessoas. A Juventude necessita oxigenar esse cenário, e hoje mais do que nunca, reconheci ao longo de minha militância que alguns ‘grupos políticos’ desconhecem o seu papel na política, não conseguem trabalhar em equipe e muito menos preservar o interesse popular além do interesse pessoal.

Foi depois de entender que MUITOS não estão ali para realmente fazer seu papel que se fez necessário não compactuar mais com ideias e ideais tão egoístas e obsoletos, sou ágil e costumo fazer as coisas com praticidade, costumo buscar meios de solucionar problemas e diminuir a burocracia, agindo com responsabilidade e diplomacia, respeito e educação, primando os meios de abrir portas para que as políticas públicas e o interesse do coletivo fiquem resguardados, não poderia mais ficar ao lado de pessoas que dificultam e costumam ver o interesse da população em último lugar, portanto minha desfiliação se concretiza para que eu possa alcançar vôos que me permitam defender idéias de maneira genuína e com transparência, no mais, meu compromisso na política é o de sempre: fortalecer políticas públicas e inserir Cidadania a população.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

seis + 9 =