Especialistas da PUC-RJ e da Fiocruz, o Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (NOIS), estão acompanhando a evolução do novo coronavírus no Brasil em comparação com outros países e já verificaram que as ações adotadas pelo governo de Jair Bolsonaro, por meio do Ministério da Saúde, comandado por Luiz Henrique Mandetta, até aqui dando resultado positivo. O grupo vem fazendo projeções de curto prazo da pandemia em três cenários: otimista, mediano e pessimista.

Em nota técnica divulgada nesta quarta-feira (1º),os pesquisadores dizem que, entre os dias  21 e 22 de março, os casos confirmados de Covid-19 em território brasileiro indicaram um rápido crescimento em relação aos demais países.

No entanto, segundo o jornal Estadão, o grupo noticiou que, nos dois dias seguintes, os casos confirmados de coronavírus estiveram entre o cenário mediano e o cenário pessimista, o que demonstrou uma tendência de diminuição do crescimento.

O estudo é assinado por 14 especialistas. De acordo com o texto, eles afirmam:

“Embora parte deste efeito [de redução] possa se dever às medidas de contenção, ressalta-se que o Brasil apresenta duas dificuldades na mensuração do total de casos positivos identificados: ausência de uma política de testagem ampla e o atraso na obtenção dos resultados e notificações.”

Ainda de acordo com o levantamento:

“A primeira afirmação se deve ao fato de não haver testes suficientes para analisar a evolução da doença na população. Já a segunda se deve ao aumento da demanda por testes, associada à falta de recursos e mão de obra qualificada para efetuar uma análise rápida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 + 1 =