O Conselho Federal de Medicina (CFM) reconheceu a possibilidade do uso da telemedicina no país, excepcionalmente, enquanto durar o combate à epidemia de Covid-19. O Conselho encaminhou ofício ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na última quinta-feira (19), onde informou sua decisão de reconhecer a possibilidade e eticidade da teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta, além do que já estava estabelecido na Resolução CFM 1.643/2002, que continua em vigor.

“A intenção é contribuir para o aperfeiçoamento e a máxima eficiência dos serviços médicos prestados, enquanto estamos nesse momento difícil em que as pessoas precisam fazer o isolamento social”, destacou o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais.

Ele explicou que a telemedicina pode ser usada para os pacientes em isolamento e para os que já tinham tratamento instituídos, podendo haver ajuste de medicamentos e emissão de novos receituários, que poderão ser entregues aos pacientes sem a aglomeração de pessoas, a fim de evitar a disseminação do coronavírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11 + dezoito =