Foto: Alina Souza/Palácio Platini/Fotos Públicas

Contrariando a promessa de ampliar o programa, o Ministério da Cidadania, que começou a pagar nesta quinta-feira (20) a pagar a folha do mês de março, cortou 158.452 bolsas. O corte, que atinge principalmente a região nordeste, vem em meio à crise global gerada pela doença Covid-19.

Na região Nordeste, dos 158,4 mil benefícios a menos em março, 96.861 (ou 61,1% do total) foram retirados justamente da região que responde por metade dos benefícios totais do país.

Os cortes na região já vêm desde o início do ano, em janeiro, das famílias que ingressaram no programa, apenas 3% eram do Nordeste, o que gerou críticas.

De acordo com reportagem publicada no UOL, o número de beneficiários é o menor do governo Bolsonaro e o menor desde maio de 2017, quando o Bolsa Família recebeu o maior corte da história do programa, durante o governo Temer, 543 mil bolsas foram retiradas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 − 2 =