Coronavírus: João Azevêdo decreta situação de emergência e cria Comitê Gestor de Crise. Foto: Secom-PB

O governador João Azevêdo (Cidadania) realiza na manhã desta terça-feira (17) uma coletiva para tratar das novas medidas de prevenção ao novo Coronavírus. João pediu que as pessoas evitem sair de casa, alegando que o isolamento social é fundamental para conter o avanço da doença.

João anunciou diversas medidas de restrição de circulação de pessoas. Entre elas quarentena para todos os viajantes nacionais que venham dos estados da Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal e Pernambuco, sendo necessária a testagem para sintomáticos.

Foi decretada também férias escolares para toda a rede estadual de 19 de março até 18 de abril.

O governador decretou que o Centro Operacional de Emergências em Saúde Pública seja o único órgão do governo do Estado responsável pela emissão dos informes e boletins epidemiológicos diários.

Além disso, o gestor garantiu que haverá reuniões semanais do comitê gestor de crise para reavaliar as medidas tomadas.

“Ficar em casa hoje é a melhor maneira de evitar propagação”, disse solicitando que as pessoas evitem saídas desnecessárias para grandes aglomerações e tomem os cuidados de higiene pessoal.

Quanto aos servidores, o governador afirmou que haverá trabalho em dias alternados, mas que eles devem permanecer nos horários de expediente em suas residências de sobreaviso com possibilidade de ser convocado, além do trabalho home office, excetuando servidores da Saúde e Segurança.

Atividades de massa estão suspensas por 90 dias, assim como abrigos não devem receber visitas e articular com a unidade de Saúde mais próxima para vacinação de influenza nos idosos.

A normativa ainda decreta que pessoas com tosse, coriza, espirros e leve indisposição que permaneçam em casa, podendo utilizar-se dos telefones disponibilizados para obter informações. Caso apresentem falta de ar, devem procurar o atendimento médico nas unidades de saúde. A secretaria de Saúde deve orientar os servidores para o monitoramento dos casos.

Ainda em relação aos idosos, a saúde deverá ampliar os prazos de prescrição de medicamentos de uso contínuo evitando o deslocamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 5 =