Foto: Vítor Silva/Botafogo

A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) se reunirá na manhã desta segunda-feira com representantes dos clubes para definir o futuro das competições diante da pandemia do coronavírus. A reunião está marcada para 9h30 (de Brasília), na sede da entidade.

Mesmo antes da definição da Ferj, algumas equipes adotaram a precaução e suspenderam as atividades de algumas categorias. Como o Botafogo, que anunciou a paralisação do sub-11, sub-12, sub-13, sub-14, sub-15 e sub-17. Com relação ao sub-20 e ao profissional, o clube vai aguardar o resultado da reunião da Ferj.

– Tudo vai ser observado entre dirigentes e presidência da Ferj, dar uma posição e ter um caminho para o futuro. O que tem que estar em primeiro lugar, é o pensamento do presidente Rubens Lopes, é a saúde, mas tudo tem que ser analisado. São tantas variáveis, que precisa pegar todos os lados e tomar uma decisão. A CBF faz o calendário e passa pronto para a Federação. Não tem como mexer, salvar datas. Por isso, essa reunião foi convocada para encontrar o melhor caminho, procurar o melhor produto para o futebol do Rio de Janeiro, pensando na saúde de todos – disse Marcelo Viana, diretor de competições da Ferj, em entrevista à “Rádio Tupi”.

Foto: Vítor Silva/Botafogo

O Fluminense, por exemplo, seguiu a mesma linha e suspendeu as atividades do sub-10 sub-11, sub-12 e sub-13 por tempo indeterminado. Os jogadores do elenco profissional receberam folga nesta segunda-feira.

O Flamengo chegou a anunciar a paralisação de suas categorias de base, mas depois voltou atrás. Assim como o Fluminense, o elenco profissional do Rubro-Negro folga nesta segunda-feira – embora a folga estivesse programada desde a semana passada. O Vasco, por sua vez, vai aguardar a decisão da Ferj.

Protestos na rodada

Ainda na sexta-feira, Leandro Castán, zagueiro do Vasco, ironizou uma resposta de Wilson Witzel, Governador do Rio de Janeiro, que confirmou a realização da rodada do fim de semana do Carioca. “Obrigado pelo respeito com os atletas”, respondeu ele. O Sindicato de Atletas de Futebol do estado fez coro a Castán e combinou que os atletas entrassem com a boca tapada como sinal de protesto.

No clássico realizado no Maracanã no domingo, os jogadores do Fluminense entraram em campo com o braço na frente do rosto, enquanto os do Vasco utilizaram máscaras. As mesmas máscaras foram usadas pelos atletas do Botafogo, que empatou com o Bangu no Nilton Santos.

Fred Gomes

@fredgomes1985

Fluminense foi o único dos times que fez o gesto combinado com o Safari, Sindicato de Atletas de Futebol do Rio de Janeiro.

Ver imagem no Twitter
Veja outros Tweets de Fred Gomes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

11 + 15 =