Opera Paraíba


João Pessoa, 21 de Novembro de 2019.



> NOTÍCIA


Publicado em 25/09/2018 12h16

Dissemos não ao populismo e vencemos nossa pior recessão, diz Temer na ONU

Em seu último discurso como presidente do Brasil na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Michel Temer (MDB) disse nesta terça-feira (25) que o país conseguiu, sem populismo, superar a pior crise econômica da história do país.

Ouça o áudio:  Dissemos não ao populismo e vencemos nossa pior recessão, diz Temer na ONU

Imagem da internet

 

Em seu último discurso como presidente do Brasil na Assembleia Geral da ONU, em Nova York, Michel Temer (MDB) disse nesta terça-feira (25) que o país conseguiu, sem populismo, superar a pior crise econômica da história do país.

"Dissemos não ao populismo e vencemos a pior recessão de nossa História --recessão com severas consequências para a sociedade, sobretudo para os mais pobres. Recolocamos as contas públicas em trajetória responsável e restauramos a credibilidade da economia", disse o presidente em seu terceiro discurso na ONU.

Temer assumiu a Presidência da República em agosto de 2016 após 13 anos do PT no governo, que terminou com o impeachment de Dilma Rousseff (PT).

Voltamos a crescer e a gerar empregos. Programas sociais antes ameaçados pelo descontrole dos gastos puderam ser salvos e ampliados. Devolvemos o Brasil ao trilho do desenvolvimento.

Michel Temer (MDB), presidente da República

A menos de duas semanas do primeiro turno das eleições no Brasil, Temer falou da importância da democracia e afirmou que entregará o cargo com a sensação de dever cumprido. "Transmitirei a meu sucessor as funções presidenciais com a tranquilidade do dever cumprido", afirmou.

Apesar do discurso otimista, a administração do governo Temer é classificada como ruim ou péssima por 78% da população, segundo pesquisa Ibope do dia 18 deste mês. A mesma pesquisa mostra que 90% da população desaprova a maneira como ele governa o país.

AVALIAÇÃO DO GOVERNO TEMER

Ótimo e bom
Regular
Ruim ou péssimo
Não sabe ou não respondeu
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
01 JUL2016
28 JUL2017
05 ABR2018
05 SET2018
18 SET2018
0%5%10%15%20%25%30%35%40%45%50%55%60%65%70%75%80%85%
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Temer disse ainda que vai deixar ao próximo presidente um Brasil melhor e com bases sólidas para ser um país mais justo. "O país que entregarei a quem o povo brasileiro venha a eleger é melhor do que aquele que recebi. Muito ainda resta por fazer, mas voltamos a ter rumo", afirmou.

"O próximo governo e o próximo Congresso Nacional encontrarão bases consistentes sobre as quais poderão seguir construindo um Brasil mais próspero e mais justo", completou.

Embora tenha falado sobre as eleições, Temer não citou a manifestação do Comitê de Direitos Humanos da ONU em defesa da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que foi barrada pela Justiça Eleitoral.

O mandatário brasileiro disse "a alternância no poder é da alma mesma da democracia". "E a nossa, senhoras e senhores, é uma democracia vibrante, lastreada em instituições sólidas", afirmou.

Temer abriu os debates da 73ª Assembleia e manteve a tradição brasileira de começar anualmente os discursos na ONU. Não há uma regra para que o Brasil faça o primeiro discurso, conforme mostrou o UOL, apenas teorias.

Em sua fala de 21 minutos, Temer também citou a imigração de venezuelanos e falou sobre a necessidade do mundo de proteger os refugiados.

O brasileiro iniciou sua fala dizendo que a comunidade internacional precisa combater três tendências: intolerância, isolacionismo e unilateralismo. Sobre o primeiro item, ele afirmou que o Brasil tem respondido com "diálogo e solidariedade", abordando a questão dos refugiados e em seguida citando a onda de imigração de venezuelanos ao país.

Fonte: Da internet
TAGS
    Nenhum resultado encontrado.
Bookmark and Share
TV TSPB Rádio TSPB 100.5

Colunistas

Categorias

Facebook

Twitter

Vídeos

Parceiros

    Nenhum resultado encontrado.