GOVERNO DA PARAIBA




> NOTÍCIA


Publicado em 14/03/2018 08h47

Sem estrutura, médica diz 'rezar' em plantão para não ter paciente grave

Profissional desabafa e diz que, diante da situação, tem receio de não atendê-lo ou até piorar sua situação.

Ouça o áudio:  Sem estrutura, médica diz 'rezar' em plantão para não ter paciente grave

Uma médica fez um desabafo sobre as condições de trabalho precárias em unidades de saúde de Goiânia. Em meio a denúncias da falta de medicamentos e materiais básicos para atendimento, como seringas e anti-inflamatórios, a profissional, que não quis se identificar, disse que "passa o plantão rezando" para não receber nenhum paciente grave (veja vídeo). O receio é não poder atendê-lo da forma correta.

A declaração foi dada em entrevista à TV Anhanguera. A médica afirmou que, diante da situação, teme piorar a situação dos pacientes ao invés de ajudar no tratamento.

"Eu sinto que, atendendo o paciente, muitas vezes, eu posso estar expondo ele a um risco maior, do que realmente ajudando. Bem complicado. Então assim, eu passo o plantão inteiro rezando pra eu não ter paciente grave. Porque se chegar eu não tenho o que fazer por ele", afirma.

A médica denuncia ainda a falta de insumos básicos para trabalhar e que sem eles é praticamente impossível prestar socorro corretamente a quem procura auxílio, com risco, inclusive, de morte.

"Antibiótico não tem, remédio pra dor não tem. Tá faltando muita coisa. Chega um paciente grave, chocado, que precisa de adrenalina, por exemplo... ainda não aconteceu comigo, mas eu sei que tem colega que deu plantão aqui que não tinha adrenalina, que é uma droga básica pra uma parada cardíaca. Se o paciente tiver que ir embora [morrer], ele vai, não tem como fazer ele voltar", declara.

À TV Anhanguera, a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) disse que as denúncias da médica não procedem e alegou que os remédios são distribuídos de acordo com o perfil de atendimento de cada unidade.

O órgão afirmou ainda que há um processo de compra emergencial de medicamentos para normalizar a distribuição e que vai apurar todas as denúncias.

Sem insumos e remédios

A falta de remédios é uma situação que atinge inúmeras unidades de saúde de Goiânia. Uma lista do Distrito Sanitário Noroeste mostra que insumos básicos, como cateter, fios cirúrgicos com agulhas, máscaras, seringas descartáveis, luvas e sondas estão zerados.

Com isso, os Cais dos setores Cândidas de Moraes e Finsoacial, além da Unidade de Pronto Atendimento da Região Noroeste ficam desabastecidos.

Também há déficit de vários medicamentos, como soro, calmante, sedativos e remédios para dor, também estão em falta. Na farmácia do Cais do Setor Vila Nova, por exemplo, neste mês, segundo funcionários, não houve remessa de anti-inflamatórios.

 


TAGS
    Nenhum resultado encontrado.
COMENTÁRIOS
Bookmark and Share
Assembleia TV TSPB Rádio TSPB 100.5

Colunistas

Categorias

Facebook

Twitter

Vídeos

Parceiros

    Nenhum resultado encontrado.